Reciclagem de Efluentes Industriais e Chorume
Solução de Tratamento de Efluentes Sanitários e Caixa de Gordura
Matéria Orgânica Transforma

4 aspectos importantes sobre o tratamento de resíduos que todo empreendedor deve saber

Publicado em 30-07-2015 13:00

4 aspectos importantes sobre o tratamento de resíduos que todo empreendedor deve saber
Uma das grandes preocupações das empresas, atualmente, é estar de acordo com a legislação ambiental. Um fator de grande importância entre os aspectos ambientais são seus resíduos - os tipos gerados, quantidade, armazenamento e o principal: sua destinação final e os custos decorrentes de tudo isso. Existem muitas dúvidas e discussões acerca do tratamento dos resíduos, tanto sólidos quanto líquidos.
 
Fato é que não importa a atividade exercida, sempre haverá algum tipo de resíduo. E as empresas precisam saber lidar de forma eficiente com esse fator. Para isso, uma solução viável é a terceirização dessa atividade.
 
O custo relativamente baixo do investimento dedicado a essa alternativa, principalmente em comparação as possíveis sanções sofridas em caso de fiscalização, faz com que esse tipo de serviço seja bastante atrativo. Melhor ainda se a empresa especializada oferecer profissionais capacitados não só para a destinação dos seus resíduos, mas também para orientar as ações, com base na legislação vigente.
 
Abaixo, vamos elucidar quatro aspectos referentes a este tema que devem ser vistos e tratados por todo empreededor.
 

Legislação

O tratamento de resíduos baseia-se em processos físicos, químicos e biológicos, podendo ser dividido em algumas etapas. Esse tratamento, o seu transporte e destinação final devem ser executados dentro de certos padrões com vista a respeitar legislações vigentes, as quais visam minimizar o impacto das atividades na saúde dos seres humanos e no meio ambiente. A legislação versa desde licenças para execução de certas atividades, bem como o descarte de resíduos. Até mesmo as empresas que trabalham com esse transporte devem ser homologadas, isto é, trabalhar dentro de certos padrões e submeterem-se a possíveis vistorias.
 
 
Em caso de qualquer tipo de acidente, os geradores também serão responsabilizados. A documentação exigida não é complexa, mas pode ser extensa, variando de acordo com as atividades exercidas pela empresa geradora dos resíduos. São avaliadas, por exemplo, a periculosidade, a quantidade e o tipo dos resíduos (industriais, sanitários, hospitalares, etc.). Qualquer irregularidade pode gerar autuação e multas, dependendo de cada local e legislação vigente.
 

Operação

No que tange à operação relacionada a gestão dos resíduos, a otimização de espaço, armazenamento e custos são fatoremos predominantes e a terceirização dos serviços que tangem o processo é bem-vinda. Não sendo onerosa, a alternativa retira da empresa a necessidade de esforços, muitas vezes desnecessários, em manter a operação on-site em constante funcionamento.
 
Como já dito anteriormente, dependendo da atividade, a quantidade de resíduos gerada pode ser variável, logo isso também influenciará nos custos e na periodicidade do acondicionamento e destinação dos mesmos.
 

Economia

Certamente o aspecto econômico deve ser levado em consideração em todas as operações das empresas, e isso inclui os resíduos. A gestão dos resíduos de uma empresa deve ser feita de forma responsável e por profissionais capacitados. Entretanto nem sempre um funcionário qualificado é realidade no quadro de colaboradores da empresa, até mesmo por razões de custo. Diante disso, muitos optam por terceirizar esse profissional.
 
 
Todas as empresas giram em torno do seus planos de negócios e todo o planejamento, ações corretivas e delimitação de prioridades dirão a forma de tratar esse assunto. É importante que a empresa procure ajuda especializada e faça um balanço do quanto o tratamento dos seus resíduos irá impactá-la. Vale salientar que a falta da gestão adequada poderá gerar multas e advertências, que provavelmente vão onerar muito mais, se comparada aos custos da gestão eficiente de resíduos.
 

Meio ambiente

Fora a preocupação com legislações e todo tipo de custos inerentes às atividades, há a questão da imagem da empresa. Incorporar os custos relacionados aos possíveis impactos ambientais dos empreendimentos é uma atitude obrigatória. A empresa que reconhece e trabalha seu lado sócioambiental tem mais chances de fechar melhores negócios e ser mais respeitada pelos consumidores e pelo mercado em geral. Em caso de uma má gestão ambiental, a reputação da empresa pode ser prejudicada, gerando sérias consequências ao negócio.
 
Como pudemos notar, o cuidado com os resíduos deve ser levado a sério. Deve-se incluir estudos e planejamento sobre a implementação e melhoria do sistema de gestão ambiental, principalmente no que tange aos resíduos, seus tratamentos e destinação final.
 
 
Nunca é o bastante comentar que as escolhas na contratação das empresas envolvidas para a coleta, encaminhamento e tratamento final, devem seguir  condições legais para que haja execução dos serviços.
 
 
Se você gostou do conteúdo e achou informativo, continue acessando o nosso site!
 
CTA - Guia do tratamento de efluentes

Tópicos: legislação ambiental, Sustentabilidade econômica, meio ambiente

Deixe seu comentário

 

Receba nossos artigos

Busca Por Artigos

biblioteca-digital-tera-ambiental
New call-to-action
New call-to-action
Descomplicando o tratamento de efluentes

Siga Nossas Páginas Nas Redes Sociais

Últimos Artigos

Artigos mais acessados