Reciclagem de Efluentes Industriais e Chorume
Solução de Tratamento de Efluentes Sanitários e Caixa de Gordura
Matéria Orgânica Transforma

4 Formas de armazenamento para efluentes industriais e sanitários

Publicado em 08-06-2016 9:30

4 Formas de armazenamento para efluentes industriais e sanitários

As atividades industriais têm como consequência a geração de efluentes variados que, muitas vezes, podem poluir a água e o solo, devido às diferentes composições químicas, físicas e biológicas.

 

O recomendado é que os efluentes sejam caracterizados e quantificados antes de seu tratamento ou disposição final e, caso não possam ser tratados de forma convencional dentro da indústria, que sejam transportados para empresas especializadas em tratamento de resíduos.  Porém, antes disso, é preciso armazená-los adequadamente.

 

Vantagens do armazenamento adequado

 

O armazenamento correto dos resíduos soluciona questões ambientais, otimiza as operações dentro das empresas e ainda traz ganhos econômicos, uma vez que os resíduos passam a ser tratados e transformados em subprodutos que agregam valor comercial.

 

Entre os benefícios do correto armazenamento, estão:

  • A agilidade do processo de coleta;

  • A segurança durante a manipulação;

  • O menor custo com o transporte, pois permite coletas de volumes maiores;

  • A redução do desperdício (já que muitos resíduos são reaproveitados);

  • O atendimento à legislação ambiental.

Diferentes tipos de armazenamento

1) Tanques de armazenamento

Para efluentes com características de inflamabilidade, reatividade e corrosividade, uma solução segura são os tanques de armazenamento, que geralmente são fabricados com placas de polietileno ou polipropileno – materiais termoplásticos, resistentes contra a corrosão por produtos químicos e por oxidação. Além disso, os tanques não apresentam vazamentos e têm alta durabilidade.

 

Eles podem ser aéreos ou enterrados e, em ambos os casos, precisam ser instalados em área de contenção.

 

Essa área deve ser ventilada, com acesso adequado e controlado para a entrada e saída dos resíduos e acesso restrito à pessoas não autorizadas. O reservatório precisa estar sobre base impermeável que impeça a lixiviação e percolação de substâncias para o solo e águas subterrâneas e recomenda-se a drenagem e captação de líquidos contaminados para posterior tratamento, além de ser exigida uma distância mínima de nascentes, poços e cursos d’água.

 

2) Caixa de gordura

Os efluentes oleosos devem ser contidos em caixas coletoras (caixas de gordura) para posterior encaminhamento à empresas especializadas em seu tratamento.

 

As caixas de gordura são unidades de armazenamentos sem drenos, com exceção daquelas que escoam para outra área de contenção ou reservatório, onde todo o derramamento acidental possa ser contido.

 

3) Fossa séptica e sumidouro

As fossas sépticas são unidades de escoamento horizontal e contínuo do esgoto doméstico, que realizam a separação de sólidos leves e pesados, decompondo-os em anaeróbio. São unidades estanques, não mecanizadas, simples, de baixo custo e de operação fácil, que realizam funções múltiplas.

 

Já o sumidouro é um poço com ausência de placa de revestimento (laje) no fundo, que permite a penetração do efluente da fossa séptica no solo. Feito de uma caixa de alvenaria, ou em manilha pré-moldada, tem ao fundo enchimento de cascalho, pedra britada e coque de pelo menos 50 centímetros de espessura. Permitindo a infiltração (penetração) do efluente da fossa séptica no solo.

 

As lajes de cobertura dos sumidouros devem ficar ao nível do terreno, ser de concreto armado e com aberturas de inspeção com tampa de fechamento hermético.

 

Os sumidouros possuem vida útil longa, devido à facilidade de infiltração do líquido praticamente isento dos sólidos causadores da colmatação, sendo que para a definição de sua profundidade deve ser observado o nível do lençol freático, sendo normalmente utilizada a profundidade de um metro.

 

4) Tambores , bombonas e contêineres

O acondicionamento de resíduos perigosos, como forma temporária de espera para tratamento, pode ser realizado também em tambores, bombonas e contêineres.

 

Os tambores de polietileno, de tampa fixa, são utilizados especialmente para o acondicionamento de resíduos líquidos e pastosos industriais compatíveis e que possam ser misturados. As embalagens utilizadas para acondicionar esse tipo de resíduo devem ser necessariamente homologadas pelo INMETRO.

 

Depois de selecionado e realizado o armazenamento adequado de efluentes industriais e sanitários, estes podem ser tratados ou transportados para dar continuidade ao processo de forma responsável e legal. Consulte especialistas para tomar as melhores decisões e evitar problemas em qualquer etapa do descarte.

CTA - Guia para destinação e tratamento de efluentes

 

Tópicos: armazenamento de resíduos, Efluentes Sanitários

Deixe seu comentário

 

Receba nossos artigos

Busca Por Artigos

biblioteca-digital-tera-ambiental
New call-to-action
New call-to-action
Descomplicando o tratamento de efluentes

Siga Nossas Páginas Nas Redes Sociais

Últimos Artigos

Artigos mais acessados