Reciclagem de Efluentes Industriais e Chorume
Solução de Tratamento de Efluentes Sanitários e Caixa de Gordura
Matéria Orgânica Transforma

Conheça o IQA - Índice de Qualidade das Águas

Publicado em 04-03-2020 11:00

Índice de qualidade das águas

Com o objetivo de avaliar a qualidade dos recursos hídricos brutos, visando o abastecimento público após tratamento, foi criado o Índice de Qualidade das Águas. O indicador foi instaurado em 1970, inicialmente nos Estados Unidos pela National Sanitation Fundation, e implantado no Brasil pela CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), em 1975. Posteriormente outras regiões do Brasil também o adotaram. 


Os critérios utilizados para medir o IQA são, em sua maioria, indicadores de contaminação ocasionadas pelo lançamento do esgoto doméstico, além de efluentes industriais, da agricultura e chorume proveniente da disposição de resíduos sólidos urbanos.

Parâmetros e cálculo do Índice de Qualidade das Águas

A criação do IQA foi baseada em uma pesquisa de opinião que contou com 142 especialistas, os quais indicaram parâmetros a serem medidos, assim como a importância relativa de cada um deles. Dos 35 padrões indicados, 9 foram selecionados, tendo cada um pesos respectivos à sua importância no índice geral. São eles:

1. Temperatura da água

A temperatura tem influência direta sobre alguns parâmetros físico-químicos da água, como viscosidade e tensão superficial. Todos os corpos d'água passam por variações ao longo do dia e das estações do ano, porém o lançamento de resíduos com altas temperaturas pode causar um impacto importante na vida de animais e de plantas desses lugares. 

2. pH

A Resolução 357 do CONAMA estabelece que, para manter a vida aquática protegida, o pH da água deve estar entre 6 e 9. Por esse motivo, e também pelo efeito das substâncias químicas que podem ser tóxicas, como metais pesados, é que o pH é um dos indicadores do IQA.

3. Oxigênio dissolvido

O oxigênio dissolvido é fundamental para algumas espécies aquáticas. Quando as águas são poluídas por esgoto, apresentam baixa concentração desse indicador, pois esse passa a ser consumido no processo de decomposição da matéria orgânica.

4. Resíduo total

O resíduo total é a matéria que permanece após a secagem, evaporação ou calcinação da água depois de um certo tempo e temperatura.

5. Demanda bioquímica de oxigênio

É um indicador do IQA que mostra a quantidade de oxigênio necessária para oxidar a matéria orgânica presente na água através de decomposição microbiana aeróbia.

6. Coliformes termotolerantes

Esses coliformes ocorrem no trato intestinal de animais de sangue quente e indicam a poluição por esgotos domésticos. Apesar de não causarem doenças, sua presença em maiores quantidades é sugestiva à existência de micro-organismos patogênicos.

7. Nitrogênio total

O nitrogênio presente nas águas pode ser orgânico, nitrito, nitrato e amoniacal. Os nitratos são tóxicos aos seres humanos e, quando muito concentrados, podem causar doenças como a metahemoglobinemia infantil, que inclusive é letal.

Além disso, em decorrência de os compostos de nitrogênio serem nutrientes nos processos biológicos, quando lançados em grande quantidade, podem causar um crescimento excessivo de algas, comprometendo o abastecimento e a preservação da vida aquática. As fontes de nitrogênio variam, sendo as principais os efluentes industriais e esgotos domésticos.

8. Fósforo total

Assim como o nitrogênio, o fósforo também é um importante nutriente nos processos biológicos. Da mesma forma, pode causar o crescimento excessivo de algas. Portanto, é um indicador importante do IQA. Entre as principais fontes, nesse caso, estão o esgoto sanitário e o próprio material fecal.

9. Turbidez

A turbidez pode ser entendida como a medida do espalhamento de luz produzido pela presença de partículas em suspensão ou coloidais. Esse indicador do IQA é causado pela presença de materiais sólidos em suspensão, como argila, sílica, matérias orgânicas e inorgânicas, além de organismos microscópicos e algas. 

Suas origens podem ser desde o solo com erosão, mineração, efluentes industriais ou esgoto doméstico lançado em mananciais sem passar por tratamento. 

Para esses 9 parâmetros citados acima foram elaboradas curvas de variação de qualidade, que fornecem um resultado entre zero e 100.

O cálculo do Índice de Qualidade das Águas é feito por meio da seguinte fórmula:

 

image-6

  

  • IQA: Índice de Qualidade das Águas, um número entre 0 e 100;
  • qi: qualidade do i-ésimo parâmetro, um número entre 0 e 100, obtido da respectiva “curva média de variação de qualidade”, em função de sua concentração ou medida e,
  • wi: peso correspondente ao i-ésimo parâmetro, um número entre 0 e 1, atribuído em função da sua importância para a conformação global de qualidade, sendo que:
  • n: número de variáveis que entram no cálculo do IQA.

Dependendo do resultado final obtido pelo Índice de Qualidade das Águas o recurso é considerado de qualidade ótima, boa, aceitável ou ruim. 

Proporcionando parâmetros para a preservação de corpos d’água e da conservação de uma alta qualidade de vida da sociedade, o IQA não apenas é importante em um contexto geral, mas também um indicador a estar na mente de gestores e empresas responsáveis pelo tratamento de seus efluentes.

 

New call-to-action

Tópicos: reúso de água, Recursos hídricos

Deixe seu comentário

 

Receba nossos artigos

Busca Por Artigos

biblioteca-digital-tera-ambiental
New call-to-action
Descomplicando o tratamento de efluentes

Siga Nossas Páginas Nas Redes Sociais

Últimos Artigos

Artigos mais acessados