Reciclagem de Efluentes Industriais e Chorume
Solução de Tratamento de Efluentes Sanitários e Caixa de Gordura
Matéria Orgânica Transforma

5 resíduos que podem ser compostados e você não sabia!

Publicado em 20-01-2014 15:07

Resíduos para compostagem
Promovendo a transformação de resíduos em produtos de utilidade para diversos tipos de cultivos, a prática da compostagem vem conquistando um espaço significativo e se firmando como uma alternativa cada vez mais valorizada em seus propósitos ambientais e econômicos . Seja realizado em residências ou no meio industrial (a partir das sobras dos materiais provenientes de comércios e indústrias), o processo de reaproveitamento de resíduos orgânicos resulta em diversos benefícios determinantes para o ambiente, a sociedade em geral e as organizações que aderem à prática.

 

A opção pela compostagem de resíduos não apenas contribui para a redução dos passivos ambientais, diminuindo a poluição do solo, da água e do ar, como também promove a reciclagem de nutrientes, produz materiais altamente nutritivos (como composto, fertilizante e substrato de qualidade destinados à agricultura) e ainda vai de encontro às exigências da nova Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

 

Quando se pensa no processo de decomposição de materiais orgânicos, os elementos largamente conhecidos como “compostáveis” não demoram a vir à mente - folhas secas, podas e cascas de árvores, restos de alimentos, dentre outros, são itens usualmente citados como passíveis ao processo de compostagem. No entanto, existem resíduos que podem ser compostados e que não são de conhecimento de todos, incluindo as empresas que os geram e precisam destiná-los para tratamento.

 

Conheça abaixo 5  resíduos que podem ser compostados e você não sabia

 1. Resíduos alimentícios

Materiais derivados do processamento de alimentos, como bagaços e cascas de frutas e legumes, além de produtos alimentícios de prazo vencido ou fora de especificação, podem ser submetidos à compostagem. Os restos de alimentos vindos de restaurantes, supermercados, ceasas e feiras, dentre outros, também podem ser misturados ao processo e transformados em composto orgânico. É fundamental que os resíduos sejam devidamente segregados e armazenados de forma correta.

 

2. Derivados de madeira

Pó de carvão vegetal e de serraria também são materiais compostáveis, assim como cinzas de caldeira e cama de aviário. Itens como cascas de pinus e eucalipto, cavaco de madeira e moinha e podas de árvores brutas ou trituradas também podem ser misturados aos compostos orgânicos desde que estas madeiras não tenham passado por tratamento. 

 

3. Resíduos agroindustriais

Materiais filtrantes agroindustriais, como terra diatomácea e perlita, são substâncias reaproveitáveis na compostagem.

 

4. Resíduos animais

Quase todo material de origem animal pode entrar na produção do composto: restos de abatedouros, cama de aviário, tortas, farinha de ossos, esterco de boi, de galinha e de porco são alguns dos exemplos. Porém, é importante que estas substâncias sejam armazenadas e transportadas de forma adequada para que não comprometam o processo de compostagem.

 

5. Lodos de ETE biológica

Os lodos de ETE biológicas são, geralmente, ricos em matéria orgânica, nitrogênio, fósforo e micronutrientes. Na compostagem são misturados à outros agregantes com objetivo de equilibrar a relação carbono/nitrogênio, parâmetro esse fundamental para o processo.

 

Além dos citados, diversos outros materiais orgânicos que fazem parte do dia a dia podem ser agregados ao processo. Restos de vegetais verdes e frutas cruas, folhas e flores secas, papeis não engordurados, borras de café (incluindo o filtro), aparas de madeira e de relva, serradura, línter de algodão, cascas de ovos trituradas, sacos e folhas de chá, pequenos ramos e ervas secas e cereais são alguns deles.

 

Terceirização do processo

Ao contratar serviços especializados em soluções ambientais como essa, você valoriza todo o resíduo gerado pela sua empresa com segurança e tranquilidade, produzindo um composto de qualidade, contribuindo diretamente com a redução dos impactos ambientais e esgotamento dos aterros.

 

Este processo especializado se encarregará de todas as etapas da compostagem, começando pelo recebimento dos resíduos orgânicos; passando por etapas como a disposição, aeração e empilhamento, até chegar à fase final, com o fertilizante já pronto para retirada e uso.

 

 CTA - Guia para destinação e tratamento de efluentes

 

Tópicos: resíduos industriais, compostagem de resíduos, fertilizante orgânico composto

Deixe seu comentário

 

Receba nossos artigos

Busca Por Artigos

biblioteca-digital-tera-ambiental
New call-to-action
New call-to-action
Descomplicando o tratamento de efluentes

Siga Nossas Páginas Nas Redes Sociais

Últimos Artigos

Artigos mais acessados