Reciclagem de Efluentes Industriais e Chorume
Solução de Tratamento de Efluentes Sanitários e Caixa de Gordura
Matéria Orgânica Transforma

Afinal, o que são resíduos biodegradáveis?

Publicado em 13-01-2016 9:00

resíduos biodegradáveisResíduos biodegradáveis são aqueles de decomposição natural, que ocorre por meio de bactérias e de fungos. Isso é possível porque esses materiais são renováveis, ou seja, são facilmente substituíveis e podem ser reutilizados com certa facilidade, minimizando impactos ambientais.

 

Uma das mais claras diferenças entre a biodegradabilidade ou não é a degradação, ou seja, o biológico se decompõe de forma natural e até benéfica à natureza. Já o não biodegradável quase nunca propicia qualquer benefício ao meio ambiente e merece um atenção especial para seu tratamento.

 

Em relação aos resíduos, os biodegradáveis são provenientes de diversas origens e formam um fluxo transversal, independente dessa mesma origem. Eles são provenientes de atividades da agricultura, domésticas, florestais e industriais e são encontrados na forma sólida ou líquida. Eles se decompõe de forma natural, entretanto, são necessários sistemas de tratamento para acelerar esse processo que aconteceria naturalmente. Dada a grande quantidade de resíduo gerada atualmente, a natureza não daria conta de desempenhar esse papel.

 

A Norma 10.004/2004 da Associação Brasileira de Normas Técnicas, responsável pela classificação dos resíduos, também os ordena quanto à biodegradabilidade, sendo:

facilmente biodegradável (FD), moderadamente biodegradável (MD), dificilmente biodegradável (DD) e não degradável (ND). Os resíduos biodegradáveis não estão catalogados como resíduos perigosos.

 

A legislação brasileira, ainda, identifica os resíduos biodegradáveis como “resíduos” e, por esta razão, eles devem ter uma gestão e destino adequado.

 

Reaproveitamento e destino correto

O tratamento dos resíduos biodegradáveis industriais gera um impacto ambiental muito positivo e, por este motivo, sua prática deve ser incentivada e realizada cada vez mais. No que diz respeito aos resíduos biodegradáveis sólidos, eles podem ser valorizados por operação de compostagem, por exemplo. O composto gerado no processo passa a ser utilizado para aumentar o teor de carbono no solo e manter sua fertilidade no cultivo agrícola.

 

Para o tratamento dos resíduos líquidos (efluentes) biodegradáveis, o processo biológico é uma alternativa eficiente e econômica para a degradação da matéria orgânica. A operação ocorre com ação de agentes biológicos - bactérias, protozoários e algas - e pode ser do tipo aeróbio e anaeróbio.

 

No tratamento biológico aeróbio são utilizados micro-organismos que degradam as substâncias orgânicas, assimiladas como alimento e fonte de energia mediante processos oxidativos. Nessa operação, o efluente precisa ser submetido a temperaturas específicas, e estar com o pH e o oxigênio dissolvido (OD) controlados.

 

Tratamento biológico anaeróbio

Outra modalidade de tratamento dos efluentes biodegradáveis é o biológico anaeróbio, que utiliza bactérias que não necessitam de oxigênio para sua respiração. Nesse processo, parte da matéria orgânica é convertida em gás carbônico e metano, que são eliminados por queimadores de gases. Uma das vantagens desse sistema é a geração de menos quantidade de lodo residual e, em geral, é necessária uma área menor para sua instalação.

 

Com os exemplos de tratamento e reaproveitamento dos resíduos biodegradáveis, fica claro que eles são considerados sustentáveis e contribuem para a redução do lixo e da poluição do solo, das águas e do ar.

 

CTA - Guia para destinação e tratamento de efluentes 

Tópicos: Resíduos Biodegradáveis, Material biológico

Deixe seu comentário

 

Receba nossos artigos

Busca Por Artigos

biblioteca-digital-tera-ambiental
New call-to-action
New call-to-action
Descomplicando o tratamento de efluentes

Siga Nossas Páginas Nas Redes Sociais

Últimos Artigos

Artigos mais acessados