tratamento-de-efluentes-tear-ambiental
tratamento-de-efluentes-sanitários-tera-ambiental
fertilizante-orgânico-composto-SaneFértil

Tratamento de efluentes off-site: alternativa segura para a destinação de resíduos líquidos industriais

Publicado em 19-10-2016 11:28

Tratamento de efluentes off-site

Mais do que um requisito legal, o tratamento de efluentes é uma prática de responsabilidade ambiental, que as empresas modernas entendem também como uma forma de investimento. Isso porque a empresa “amiga do ambiente” ganha o respeito e a fidelização do consumidor, indiretamente revertidos em lucro.

 

Porém, a falta de informação pode se tornar uma barreira para realizar o tratamento correto, que praticamente se apresenta em duas alternativas: onsite e off-site.

 

No tratamento onsite, a indústria precisa construir uma Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) dentro das suas suas instalações. É uma opção complexa e aconselhável a longo prazo para empresas com grande geração de efluentes. Exige contratação de empresa especializada para o projeto e implantação, mão de obra qualificada, adequação às exigências legais e expertise que não é o foco de atuação da empresa. Deve, ainda, ser responsável pelos procedimentos de operação, manutenção, tratamento e descarte final adequado do efluente tratado em rede coletora ou corpo d’água com condicionantes que aceitem-os.

 

É dividido em três categorias:

  • BOT (Build, Operate and Transfer)

Modalidade na qual a empresa contratada projeta, constrói e opera a estação para o aterro, que remunera a empresa pelo serviço prestado e recebe o empreendimento após o término do contrato. A contratação é baseada a longo prazo.

  • O&M (Operate and Maintenance)

Modalidade na qual a empresa contratada opera estação do aterro, fornecendo todos os insumos no processo como mão de obra, laboratório e supervisão operacional. A contratação é baseada de curto à médio prazo.

  • AOT (Adquaire Operate and Transfer)

Modalidade na qual a empresa contratada compra a estação do aterro, realiza os investimentos necessários, opera e transfere novamente a unidade de tratamento ao cliente após o término do contrato.

 

No tratamento off-site, o gerador dos resíduos líquidos terceiriza o serviço para uma empresa especializada e não precisa investir na construção do sistema de tratamento. Por consequência, não assume grande parte dos riscos operacionais, trabalhistas e ambientais.

 

O processo de recebimento, tratamento e monitoramento dos efluentes industriais, assim como sua destinação, ficam a cargo da empresa de tratamento off-site.

 

Principais vantagens do sistema off-site

 

Tratamento de efluentes off-site

 

Ao optar pelo tratamento off-site, com a contratação de empresa terceirizada, a indústria geradora agrega agilidade, segurança e eficiência ao cumprir requisitos legais.

Entre as principais vantagens, estão:

  • Não há necessidade de investimentos na construção, operação e manutenção de uma ETE;

  • Não é preciso se preocupar com fatores como espaço para armazenamento, dificuldade para tratar os resíduos e adequação às exigências para a destinação final correta do resíduo tratado;

  • Deixa-se de assumir grande parte dos riscos operacionais, trabalhistas e ambientais, uma vez que todo o trabalho será realizado pela terceirizada;

  • Gestão é simplificada e há redução de custos trabalhistas, não havendo necessidade de controle de pagamentos, obrigações e tributos que incidem sobre a contratação direta de empregados;

  • Melhor qualidade do serviço, uma vez que é realizado por profissionais devidamente qualificados;

  • A empresa terceirizada detém conhecimento e experiência para determinar as melhores e mais eficazes formas de tratamento.

Cuidados na contratação do serviço off-site

 

Embora a terceirização seja considerada a opção mais atrativa para o tratamento de efluentes industriais, é importante que alguns cuidados sejam tomados na hora de contratar uma terceirizada. Há muitos riscos ao se contratar uma empresa não qualificada, que podem resultar em multas e autuações trabalhistas.

 

Nos casos de tratamento irregular e descarte incorreto de resíduos, a indústria geradora é corresponsável pelo passivo ambiental e pode responder por crimes ambientais junto a Justiça.

 

Por isso, é importante se atentar a alguns fatores importantes:

  • Certificar se a empresa é realmente especializada e reconhecida no mercado e órgãos ambientais;

  • Checar se possui todas as licenças de operação exigidas por lei;

  • Realize, no mínimo, uma visita técnica para certificar-se sobre a estrutura e eficiência nos processos praticados;

  • Se apresenta alguma facilidade de consulta e rastreabilidade para comprovar o recebimento e tratamento do resíduo?

  • Verificar se emite o CDF - Certificado de Destinação Final, que comprova se os resíduos foram tratados e destinados de forma adequada;

A terceirização no tratamento de efluentes é hoje uma prática essencial em um mercado que foca cada vez mais seus esforços em sustentabilidade e responsabilidade social. Deve, no entanto, ser realizada com um fornecedor confiável e experiente.

CTA - Guia para destinação e tratamento de efluentes

Tópicos: tratamento de efluentes, tratamento de resíduos off-site

Receba nossos artigos

Busca Por Artigos

biblioteca-digital-tera-ambiental
CTA - Terminologia Ambiental

Siga Nossas Páginas Nas Redes Sociais