Reciclagem de Efluentes Industriais e Chorume
Solução de Tratamento de Efluentes Sanitários e Caixa de Gordura
Matéria Orgânica Transforma

Separação do lixo: 8 coisas que você provavelmente não sabe

Publicado em 22-12-2016 11:30

Separação do lixo: oito coisas que você provavelmente não sabeAs empresas comprometidas com o desenvolvimento sustentável adotam conceitos como otimização de recursos, redução de desperdício, tecnologia, conhecimento, bom senso e responsabilidade na adoção de boas práticas ambientais.

 

Dessa forma, a separação do lixo se enquadra nessas práticas com a possibilidade de reutilizar, reciclar, agregar valor ao material reciclado, aumentar o tempo de vida dos aterros sanitários e diminuir o impacto ambiental quanto a disposição final dos rejeitos.

 

Separar é deixar fora do lixo tudo que pode ser reaproveitado ou reciclado. O chamado “lixo orgânico” que inclui, por exemplo, os restos de alimentos, deve ser destinado para soluções que reaproveitem suas propriedades para criar novos meios de utilizá-los novamente, como a compostagem que os transformam em adubo orgânico

 

Outros materiais que são considerados reaproveitáveis, como plásticos, vidro e metais, são reintegrados no ciclo industrial. Já os resíduos que não são orgânicos, nem recicláveis – os chamados rejeitos – devem ser encaminhados para destinação final adequada.

 

Coleta seletiva e reciclagem

Entretanto, de nada adianta separar o lixo se ele não for coletado separadamente. Assim, etapa fundamental pós-separação é a coleta seletiva – processo que recolhe materiais considerados reutilizáveis, previamente separados na fonte geradora, e os encaminha para a reciclagem.

 

Na reciclagem, ocorre a transformação dos materiais, que teve sua primeira utilidade esgotada, em outro produto, completando o ciclo sustentável.

 

Essas boas práticas ambientais implantadas pelas empresas geram economia de matérias-primas, água e energia, é menos poluente e alivia os aterros sanitários, além de garantir o estrito cumprimento das leis ambientais e a admiração dos clientes. Afinal, empresas consideradas “ambientalmente responsáveis” são as preferidas na hora de adquirir um bem ou contratar um serviço.

 

Pontos importantes sobre a separação do lixo

  1. Papéis

Praticamente todos os tipos são recicláveis, inclusive caixas do tipo longa-vida e de papelão, papel laminado, nota fiscal, envelope, jornais e revistas. Porém, precisam estar limpos e secos. Podem ser dobrados ou picados, mas não amassados.

 

Não são recicláveis: papel celofane, papel plastificado, papel parafinado, papel carbono, papel de fax, fotografias, papel toalha, guardanapo e papéis sanitários.

 

Lembre-se de que para produzir 1 tonelada de papel é preciso 100 mil litros de água, 5 mil KW de energia e 17 árvores adultas. Já para produzir a mesma quantidade de papel reciclado, são usados apenas 2 mil litros de água e 50% da energia.

  1. Vidros

O vidro pode ser infinitamente reciclado e praticamente todos os tipos são recicláveis, exceto lâmpadas, cristais, espelhos, vidros temperados, louça, cerâmica, porcelana, óculos, pirex e vidros especiais, como tampo de forno e micro-ondas.

 

É importante saber que 1 Kg de vidro quebrado faz 1 kg de vidro novo – ou seja, ele é 100% reciclável.

  1. Metais

São recicláveis: enlatados, ferragens, arames, chapas, canos, pregos, parafusos, cobre e alumínio. Com curiosidade, uma única lata de alumínio economiza energia suficiente para manter uma TV ligada durante três horas.

 

Clipes, grampos, esponjas de aço, latas de verniz e latas de produtos tóxicos não são recicláveis.

  1. Plástico

Praticamente todo tipo de plástico é reciclável. Não se recicla: adesivos, acrílico e cabos de panelas.

Saiba que para cada 100 toneladas de plástico reciclado economiza-se 1 tonelada de petróleo.

  1. Isopor

O isopor é reciclável e deve ser colocado no recipiente coletor de plásticos.

 

Como o processo de reciclagem do isopor não é economicamente viável, é importante usá-lo de diversas formas e evitar ao máximo o seu desperdício. Algumas empresas transformam o isopor em matéria-prima para blocos de construção civil.

  1. Produtos considerados perigosos que nunca devem ir para o lixo

  • Lâmpadas fluorescentes – contêm mercúrio, altamente poluente;
  • Cartuchos e toners;
  • Pilhas e baterias – também contêm mercúrio;
  • Eletrônicos velhos/quebrados – CPUs, monitores, cabos, teclados, estabilizadores, celulares e eletrodomésticos. Podem conter chumbo, bromo, mercúrio e cádmio, metais perigosos.

Esses produtos devem ser devolvidos sempre no local da compra ou em pontos de coleta específico para esse fim.

  1. Lavar ou não lavar os materiais descartados

Para o processo de reciclagem ser realizado, não é necessário lavar nada antes. Porém, é higiênico retirar o excesso de resíduos do recipiente, principalmente se ele ficar armazenado por algum tempo, para não causar mau cheiro ou atrair insetos e roedores.

Leia também: 

  1. Nem todo lixo seco e limpo é reciclável

Nas empresas, muitos materiais de escritório não podem ser reciclados: papel-carbono, etiqueta adesiva, papel de fax, papéis plastificados, fita crepe, fita adesiva, isolante, clipes, grampos e tachinhas.

Outros dejetos também ficam de fora da reciclagem: guardanapos, filtro de cigarros, rolhas, acrílico, papéis sujos, papéis sanitários, copos de papel, esponjas de aço, tomadas, espelhos, cerâmica, porcelana e espuma. 

 

Reciclar é cuidar do meio ambiente e contribuir para a perpetuação de recursos esgotáveis. Informe-se, desenvolva essa cultura em sua família e compartilhe as informações com conhecidos.

 

CTA - Guia para caracterização e classificação de resíduos

Tópicos: Metas de Reciclagem

Receba nossos artigos

Busca Por Artigos

biblioteca-digital-tera-ambiental
CTA - Terminologia Ambiental

Siga Nossas Páginas Nas Redes Sociais